Postagem em destaque

CONHEÇA A CÂMARA EXTERNA DA ORDEM ROSACRUZ, AMORC

Caro Buscador, Seja bem-vindo à Câmara Externa da Antiga e Mística Ordem ROSACRUZ, AMORC! Esta modalidade de aproximação...

sexta-feira, 25 de maio de 2018

NOSSO PROPÓSITO!



EXPERIMENTO - JEJUM DE PALAVRAS


 O jejum alimentar é bem conhecido e se revela, quando feito moderadamente e em um curto espaço de tempo, um bem para o corpo. Contudo, um jejum ainda mais importante, e que tem influência decisiva sobre o nosso desabrochar espiritual, é o jejum de palavras.

A evolução mística de um indivíduo ocorre na proporção da diminuição das palavras proferidas durante o dia. Um adepto é aquele que entendeu a mágica do silêncio e do ouvir, tanto do ponto de vista ético, como psicológico e místico. Silenciando, conseguimos evitar proferir palavras que possam ser prejudiciais aos outros, higienizar nossa mente e acumular uma reserva de Força Vital em nossos corpos físico e psíquico. O falar pouco e o silêncio são Poder, como testemunharam todos os Mestres, que foram amantes do silêncio, e das palavras conscientes, ao contrário de nós, que na maioria das vezes nem prestamos atenção ao nosso fluxo descontrolado de palavras.

O hábito do falar pouco, e conscientemente, é muito mais difícil do que se imagina; é uma das práticas mais desafiadoras do caminho. Para começar a se acostumar com ele, faça rápidos "jejuns de palavras", começando por um dia, depois três, uma semana etc. Não significa ficar sem falar, mas eliminar toda e qualquer palavra desnecessária, supérflua e que não acrescente nada de construtivo a si mesmo e aos outros. Você verá que, no começo, isso será extraordinariamente difícil, pois exige uma constante atenção ou concentração sobre o que irá verbalizar, em todos os momentos. Você perceberá que falou mais do que devia, e sem perceber, inúmeras vezes. Pode ser até que "desperte" para seu compromisso de jejum de palavras no meio de um falatório seu, em que, totalmente inconsciente, você desperdiçava palavras e energias. Mas persevere. Com a prática constante e perseverante, os resultados para a consciência e para a alma se farão sentir a partir de alguns meses de prática.

Faça jejum de palavras!, 
e potencialize sua evolução mística.

Fonte: amorc



PAIS E FILHOS - ( Khalil Gibran; O profeta)


Vossos filhos não são vossos filhos:
são filhos e filhas da ânsia da vida por si mesma.

Vêm através de vós, mas não de vós,
e embora vivam convosco, não vos pertencem.

Podeis doar-lhes vosso amor, 
mas não vossos pensamentos;
Porque eles têm seus próprios pensamentos.

Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;
Pois suas almas moram na mansão do amanhã, 
que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho.

Podeis esforçar-vos por ser como eles, 
mas não procureis fazê-los como vós,
porque a vida não anda para trás 
e não se demora com os dias passados.

Vós sois os arcos dos quais vossos filhos 
são arremessados como flechas vivas.

O arqueiro mira o alvo na senda do infinito 
e vos estica com toda a sua força, 
para que suas flechas se projetem, rápidas e para longe..

Que vosso encurvamento na mão do arqueiro 
seja vossa alegria: 
pois assim como ele ama a flecha que voa, 
ama também o arco que permanece estático.

(Khalil Gibran; O profeta)



A CARROÇA VAZIA - Esopo



Num certo dia, um pai convidou o filho para irem de Maratona a Atenas a pé. O filho aceitou com entusiasmo, e disse:

- Que bom! meu querido pai, quem sabe se não vejo os ilustres sábios a discutirem na ágora de Atenas. 

E foram caminhando. Depois de um certo tempo pararam para descanar debaixo de frondosas árvores à beira de uma riacho. Se fartaram de beber água e descansaram sob as sombras ouvindo as melodias dos pássaros. Nesse ínterim, também se ouvia um barulho. O menino apurou os ouvidos e disse: 

- Esse barulho deve ser de uma carroça.

- Isso mesmo, - disse o pai do menino- . É uma carroça vazia.

O filho perguntou ao pai:

-Papai, como o senhor pode saber se a carroça está vazia
            se ainda não a vimos?

Então o pai disse:

-Ora, é muito fácil saber se uma carroça está vazia 
           por causa do barulho. 

Quanto mais vazia a carroça,
           maior é o barulho que ela faz.



Assim são as pessoas. 
Quanto mais barulho, menos conteúdo.

"O rio, quanto mais profundo ele é, 
menos barulho ele faz"



O ESPLENDOR DE ATON


Teu alvorecer é belo no horizonte do céu,
Ó, Aton vivo, Começo da vida!
Quando surges no horizonte oriental do céu,
Enches toda a Terra com tua beleza;
Pois és belo, grande...
Teus raios cobrem as terras, E tudo o que criaste...
Tu és Ra... Tu os unes pelo teu amor.
Embora estejas distante, teus raios estão na terra...



Luminosa é a terra. Quando surges no horizonte,
Quando brilhas como Aton durante o dia.
As trevas são banidas, Quando lanças teus raios...
Excelentes são os teus desígnios, Ó, Senhor da eternidade!...
Pois teus raios nutrem todos os jardins,
Quando surges, eles vivem, e crescem por ti.
Fazes as estações do ano para criar todas as tuas obras;...
Para contemplar tudo o que criaste...
Tu estás em meu coração,
O mundo está em tuas mãos, como o criaste...
Pois tu és duração... Por ti o homem vive,
E seus olhos contemplam tua beleza...
Vivendo e florescendo para todo o sempre.
Numerosas são todas as tuas obras
Elas nos estão ocultas, Ó, tu, Deus único,
Cujos poderes nenhum outro possui.



VERDADE - Carlos Drummond de Andrade


      Carlos Drummond de Andrade
                                       
A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez.

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com meio perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua miopia.


RESILIÊNCIA - Logos Oculto


Elisa Fernandes Sousa Rocha. S.R.C. 
Mestre em Educação, Especialista em Literatura Brasileira e Psicanalista.

Um dos privilégios da reflexão sobre resiliência ao longo do tempo é a análise de novas interpretações de sua natureza: o processo, os fatores, comportamentos e resultados resilientes. Estudos científicos comprovam que o resiliente se transporta, em situações-limite, para “algum-lugar”, “estado” ou “refúgio”, os quais lhe servem de apoio.


 A proposta abrange todas as áreas da atividade humana e busca resgatar o que é especificamente humano, sendo o caráter de transdisciplinaridade evidente. A resiliência, segundo a física, é a capacidade de certos corpos de retornar à sua forma original após sofrer tensão e se deformar. Em psicologia, é o nome que se dá à nossa capacidade de superar traumas e dores e resgatar o prazer pela vida. Quanto maior, mais chances teremos de não nos abater nos reveses da vida. O autoconhecimento pode oferecer uma energia “desconhecida” para seguir em frente, encontrando sentido até nas adversidades e situações-limite.