Postagem em destaque

CONHEÇA A CÂMARA EXTERNA DA ORDEM ROSACRUZ, AMORC

Caro Buscador, Seja bem-vindo à Câmara Externa da Antiga e Mística Ordem ROSACRUZ, AMORC! Esta modalidade de aproximação...

domingo, 17 de dezembro de 2017

PORTAL DA CABALA - Mini-aula de Torá - Conexão (11) O PERDÃO

16 a 23/12/2017
Conexão da Semana: O PERDÃO           

A porção da torá desta semana, muito bonita por sinal, fala do re-encontro de José com os irmãos e com o pai, com quem ele não tinha contato há 22 anos. José tinha motivos de sobra para não perdoar os irmãos, que o haviam vendido como escravo. No entanto, ele prefere ver a mesma situação como um presente divino. Afinal, somente após ter passado por tudo que passou que ele pode se tornar governante do Egito e assim acabar salvando a própria família da seca e da fome.

Que possamos nos imbuir do espírito de José, e descobrir a luz por trás da escuridão. Assim poderemos perdoar. Afinal, como poderemos construir uma nova consciência se carregados de ressentimentos?

Nessa semana abre-se uma nova porta. Que possamos aproveitar o momento para desfazer todas as mágoas acumuladas por um passado que não existe mais. A melhor forma de se fazer isso é viver a cada dia mais no presente: Aqui, Agora.

Shalom!!!!


[]s Ian Mecler. 

Aguardem: Próxima semana, novo estudo 

Conexão - A LEI DO RETORNO

   






ESOTERISMO


 Do grego, Esoterikos = Interior. Em português, Esotérico. Qualificação dada nas escolas dos antigos filósofos, à sua doutrina secreta, reservada apenas aos iniciados.

O que podia ser revelado ao público em geral, era chamado Exotérico =  Exterior.
A palavra Esoterismo é o substantivo, como o Cristianismo, o Budismo, o Espiritismo etc.

Desde a mais alta antiguidade, quando surgiram as primeiras grandes civilizações do mundo, os sábios desses povos, já cultivavam a ciência da mente e investigavam as leis não conhecidas da natureza e os poderes latentes no homem.

Naquele distante período da história da humanidade, entre os anos, 3.000 e 2.000 antes de Cristo, os sábios daquelas civilizações, quase todos os sacerdotes, já tinham alcançado vasto conhecimento das ciências Esotéricas e desenvolvido os mais variados poderes paranormais.
Naquela época os lideres espirituais já faziam nítida distinção entres os conhecimentos ou dogmas, que poderiam ser passados ao povo em geral, os mantendo na ignorância, e os Esotéricos, reservados apenas aos iniciados, após gradativa e longa iniciação, com provas as mais austeras e difíceis, em que muitos tombavam pelo caminho e eram reprovados.

O Hierofante era o sacerdote que presidia os mistérios, iniciava os neófitos dentro das pirâmides ou templos, e interpretava as escrituras reveladas e as coisas sagradas.
Um dos mais famosos Esoteristas ou Hierofante do Egito antigo, foi Hermes, que os gregos atribuíram o título de Trismegisto ou três vezes grande, nasceu em Tebas, capital do Médio Egito, por volta do ano 1400 antes de Cristo. Ele foi o grande sistematizador de todo o conhecimento e sabedoria do seu tempo, e fez rígidas exigências do que poderia e do que não poderia ser revelado ao público. Do seu nome surgiu a palavra Hermetismo, semelhante ao ocultismo, ao esoterismo e a alquimia, também a palavra hermético, que significa fechado.


Moisés foi contemporâneo de Hermes. Não existe nenhum registro histórico, mas é bem provável que Moisés o conheceu, pois ele foi iniciado pelos mestres egípcios, desenvolvendo inúmeros poderes paranormais, principalmente o da mediunidade de efeitos físicos, que ele usou posteriormente para tirar o seu povo do Egito e conduzi-los para a famosa Terra Prometida.

Então os Mestres da Grande Fraternidade Branca Universal, recolheram os ensinamentos Divinos quer foram usados e que ficaram desaparecidos por mais de 2.000 anos.


Nos últimos 200 anos, surgiu o Esoterismo moderno, que não está mais fechado nos punhos de um mestre ou de uma casta sacerdotal, e sim, aberto a todos os que têm olhos para ver e mentes para compreender, cujos seguidores não aceitam mais a fé cega e os dogmas rígidos e ultrapassados das religiões formais.

O propósito do Esoterismo moderno é buscar a união da filosofia oriental à magia do ocidente e ao mentalismo do novo mundo. É equilibrar a Fé com a Razão, para ser possível também equilibrar e harmonizar a Ciência com a Religião.

Fonte: Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento



GOTAS DE SABEDORIA











A GRANDE INVOCAÇÃO




"OS TRÊS MACACOS SÁBIOS" -


Os macaquinhos, conhecidos como 'Três Macacos Sábios', ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século 17 localizado na cidade de Nikko, no Japão. Sua origem é baseada em um trocadilho japonês. Seus nomes são 'mizaru' (o que cobre os olhos), 'kikazaru' (o que tapa os ouvidos) e 'iwazaru' (o que tampa a boca), que na língua é traduzido como 'não ouça o mal', 'não fale o mal' e 'não veja o mal'. A palavra 'saru', em japonês, significa 'macaco' e tem o mesmo som da terminação verbal 'zaru'.


O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês, no século 8.

Fonte: Ricardo Mário Gonçalves, professor de História Oriental da USP


A ESTRELA DOS MAGOS



A estrela de cinco pontas representa um homem no gozo de todas as faculdades, um homem perfeito.

Em cima está a cabeça; à direita e à esquerda, os braços; e embaixo estão as pernas.


No circulo que fica ao centro está o coração, porque este é o centro da vida. O coração, como centro, é ainda superior à cabeça.


Sendo o coração o centro da vida, o seu atributo real em todos os planos é a EXISTÊNCIAA VIDA, expressa pelas palavras EU SOU, que se acham no centro.

A respeito do coração, eis o que diz Papus: "O verdadeiro esoterismo é a ciência das adaptações do sentimento. Só o sentimento é criador em todos os planos; a ideia é criadora somente no plano mental humano.  Ela dificilmente atinge a natureza superior"

(*). As pontas são simplesmente irradiações do centro.

A ponta de cima é de cor dourada, emblema do Sol e representa a Vontade.

A ponta direta, equivalente à mão direita, é de cor vermelha, cor de Marte, emblema da Força e Energia.

A ponta esquerda, equivalente à mão esquerda, é de cor verde, cor de Vênus, representando a Atração, o Amor.

A ponta que fica embaixo é de cor amarela, e representa a Experiência, atributo de Saturno.

A ponta para baixo, de cor violeta, cor de Júpiter, representa a Ação, Elevação.

O preto que rodeia a estrela, está em contraste com o branco do centro, para mostrar que, em todas as coisas, há dois lados: um bom e outro mau, um agradável e outro desagradável.

Do centro ainda irradiam as quatro palavras que formam o lema de nosso Circulo: Harmonia, Amor, Verdade e Justiça.

A realização se obtém pela fixação constante do pensamento na ideia representada, até conseguir vê-la perfeitamente no plano astral.

Quando conseguirdes realizar em vós mesmo a ideia expressa por esta estrela, sentireis dentro de vós uma calma e uma tranquilidade que nada pode perturbar; sentireis que estais com a força e nada temereis.

O processo mais rápido será deitar-vos num leito e procurardes obter o afrouxamento de todos os músculos.

Depois, pensar que todo o vosso corpo irradia as cores indicadas na estrela, e que as irradiações são da mesma forma que as representadas. Direis mentalmente as palavras escritas, de conformidade com as cores que representais na vossa mente.

Por esse sistema, conseguireis um equilíbrio perfeito no vosso corpo, adquirireis saúde, energia e vitalidade.

A vossa vontade se desenvolverá, adquirireis perfeição na memória e a vossa inteligencia se tornará cada vez mais clara.


(*) Ex-Libris, do dr. Papus, pelo conde de Tromelin


SOMOS TODOS UM - O que está em cima é como o que está em baixo


O homem é a cópia do universo, o sangue que corre em nossas veias não é menos importante do que o éter cósmico, o coração que bate em nosso peito, não é menos importante do que a lua que impõe seus influxos à Terra, e a mente humana não é menos brilhante do que o Sol que nos ilumina. E caminhando nessa direção, entendemos que a essência da vida revela a natureza divina da criação, e compreendemos que somos mais do que cadeias de carbono, que estamos, em essência, muito além dos aspectos externos e materiais , e esse é o maior mistério, pois a vida não é desse mundo e como Jesus disse: “Homens sois Deuses... 



Entendendo esse mistério, podemos sentir a criação, pelo amor e espiritualidade que brota do fundo de nossas almas, e que nos proporciona um profundo sentimento de unidade com o universo, de modo que, conseguimos sentir o cosmos a pulsar dentro de nós. 



E nos conscientizando de que somos parte do Todo, entendemos as palavras cristãs, o famoso:Amai-vos uns aos outros; E entendemos que como partes integrantes da coletividade somos diretamente responsáveis pelo destino da humanidade; logo, procuremos trabalhar para a evolução da humanidade, principalmente no que tange ao amor fraternal que unirá os povos, unirá as nações que hoje se encontram fragmentadas pelas barreiras culturais, raciais, territoriais ou continentais....
Fonte: blog Scriptorium Splendor