Postagem em destaque

CONHEÇA A CÂMARA EXTERNA DA ORDEM ROSACRUZ, AMORC

Caro Buscador, Seja bem-vindo à Câmara Externa da Antiga e Mística Ordem ROSACRUZ, AMORC! Esta modalidade de aproximação...

segunda-feira, 3 de abril de 2017

A BUSCA DA VERDADE - Indiano OSHO


Insista em conhecer. E, o que quer que isso custe, não importa o tempo que leve, que inicie sua busca sozinho(a), por sua própria conta, porque não há nenhuma outra maneira de se encontrar a verdade.

Conhecer é caminhar para o florescimento.



A busca da verdade... Você  não deve ensinar a ninguém o que é a verdade, porque ela não deve ser ensinada. Você deve ajudar a pessoa a inquirir. Inquirir é difícil, acreditar é barato, mas a verdade não é barata. A Verdade é a coisa mais valiosa do mundo. Você não deve obtê-la dos outros, você terá que encontrá-la por si mesmo.



Se sua determinação for total, você não precisará ir até à verdade, a verdade virá até você. Você terá apenas que ser suficientemente silencioso para recebê-la. Você tem que se tornar um anfitrião para que a verdade possa se tornar um hóspede em seu coração.
A verdade é eterna e encontrá-la significa que você também tornou-se parte da eternidade.



Aprenda a ficar silencioso, aprenda a ser observador, aprenda a ser uma testemunha, aprenda que você não é a mente, mas alguma coisa além - a consciência - prepará você para receber a verdade.

A verdade é um silêncio sem nome, é serenidade, paz. A paz é tão profunda que você desaparece e, no momento em que você desaparece, você entra no templo de Deus.



Na Índia, há uma história muito antiga. Dez homens cegos atravessam um rio. A correnteza é muito forte. Então, eles se seguram pelas mãos. Quando chegam do outro lado, um deles sugere: "Acho que deveríamos contar quantos somos agora. Não podemos enxergar, e a  correnteza estava tão forte - alguém pode ter sido levado pelo rio."

Assim, eles contam . Mas, estranhamente, a conta acaba sempre em nove. Todos tentam, mas dá sempre nove. Um homem, que estava sentado na margem do rio, começa a rir - é cômico! E aqueles dez homens cegos, sentados lá, chorando, com águas nos olhos, porque perderam um dos seus amigos.


O homem vai até eles e pergunta: "O que houve?"

Eles explicam a situação e o homem diz: "Fiquem de pé numa fila. Eu tocarei o primeiro e ele responderá 'um'. Tocarei o segundo e ele responderá 'dois'. Tocarei o terceiro e ele responderá 'três'...

Surpreendentemente, ele encontra o o décimo homem que estava perdido. Todos agradecem e dizem: "Pensávamos que tínhamos perdido um dos nossos amigos. Nós também contamos. Todos nós  tentamos e não encontrávamos o décimo. Mas, por favor, diga-nos, como o décimo homem apareceu de repente?"

O homem respondeu: "Esse é um mistério muito antigo, que vocês não compreenderão. Sigam seu caminho."




Qual o antigo mistério nisso? A pessoa sempre tende a esquecer de si mesma. Na verdade, ela vive a vida inteira sem lembrar de si mesmo. Vê todo mundo, conhece todo o mundo; só esquece de si mesma.

O silêncio, a meditação é o único método pelo qual você começa a contar a partir de si mesmo: 'um'...


As pessoas sabem geografia: sabem onde fica Constantinopla, sabem onde fica Istambul, e não sabem onde ela mesma está. A primeira coisa na vida é saber quem você é, onde você está. Então tudo na sua vida começa a se assentar, movendo-se na direção certa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário