Postagem em destaque

CONHEÇA A CÂMARA EXTERNA DA ORDEM ROSACRUZ, AMORC

Caro Buscador, Seja bem-vindo à Câmara Externa da Antiga e Mística Ordem ROSACRUZ, AMORC! Esta modalidade de aproximação...

segunda-feira, 3 de abril de 2017

PARAPSICOLOGIA - APORTE - Agulhas, pregos etc - Instituto Padre Quevedo




AGULHAS ENTRAM NO CORPO SEM MACHUCÁ-LO

                                                                       Por Instituto Padre Quevedo

Uma versão do fenômeno parapsicológico chamado aporte é a de agulhas, pregos etc. entrarem sozinhos no corpo das pessoas.

Pessoas supersticiosas sempre temem ou inventam, mesmo inconscientemente, que algum feitiço esteja sendo feito contra elas. Como aquele em que se espetam agulhas em um boneco... Essas pessoas então podem, numa crise de desagregação psíquica (psicorragia), fazer aquela versão do aporte em si mesmas, simbolizando o feitiço que temem. 
Se essas pessoas estivessem cheias de otimismo, se acreditassem que ninguém é capaz de fazer o mal através de magias, e que somos nós mesmos que nos sugestionamos para o bem ou para o mal, elas não levariam tão estranhos objetos para dentro de seu corpo tão bonito e saudável. Agulhas e alfinetes servem para costurar, pregos servem para pregar, não para ficarem dentro do corpo. Quem confia em Deus não tem medo de feitiço.
O Instituto Padre Quevedo de Parapsicologia (IPQ) desvendou muitas fraudes de aporte, mas também ajudou muitas pessoas vítimas de si mesmas nesse fenômeno.


O corpo de Yeda Maria de Jesus, da cidade de Paraúna, Goiás, apareceu cheio de pedaços retorcidos de arame, grampos, parafusos, depois que seu pai e seu irmão a ofereceram ao demônio em um pacto satânico. Quando viram o corpo dela, o pai, o irmão e uma vizinha suicidaram-se. Depois de algum tempo Yeda expulsou as quinquilharias de seu corpo. Por aporte entraram, por aporte saíram. Não valeram os exorcismos que lhe fizeram na Casa da Bênção em Brasília.
Lucrécia Maria Januário, de Lorena (SP), estava com mais de 40 anos e desde os 15 anos trazia agulhas em seu corpo. Médicos e particulares extraíram dezenas delas. Em geral apontam sobre a pele repelidas pelo organismo. Dependendo, porém de onde se alojam é difícil e até impossível retirá-las.


Como explicar essa quantidade exagerada de objetos dentro do corpo sem machucá-lo, sem infeccioná-lo, sem incomodá-lo?
Segundo a Parapsicologia o fenômeno é causado pela força parapsicológica da própria vítima. Todavia, é mais frequente a fraude histérica, isto é, as próprias pessoas inconscientes ou ao menos irresponsavelmente introduzem as agulhas no corpo.
Receita contra o feitiço: rir, rir muito de feitiços e feiticeiros.



Nenhum comentário:

Postar um comentário